Você sabia que o esmalte que você usa pode te fazer mal?

Já imaginou que um ato simples pode ser um risco para sua saúde?

Poucas pessoas sabem, mas é que o esmalte está recheado de substâncias tóxicas em sua composição. Conheça algumas dessas substâncias:

  • Tolueno (Tolueno) — solvente responsável por criar a superfície lisa na unha e conservar o pigmento. O tolueno pode prejudicar o sistema nervoso, além de danificar o sistema reprodutivo.
  • Formaldeído (Formaldehyde Aldeído) — composto altamente volátil que faz com que o esmalte fique por mais tempo na unha. Um alerta para quem tem alergia. Essa substância pode desenvolver dermatites e queimaduras químicas. Em casos mais graves, pode até causar alteração no ritmo cardíaco e câncer.
  • Dibutilftalato (dioctil Рhthalate) – usado como aromatizante. Parece inocente, mas pode causar doenças respiratórias, ginecológicas e até mesmo desordens endócrinas.

Um grupo de cientistas desenvolveram uma pesquisa com 24 mulheres. Elas passaram esmaltes e após sesis horas, a maioria delas tiveram um aumento do nível de difenilfosfato, substância derivada do fosfato de trifenilo, que é produzida durante o metabolismo. E, após 10 horas, o nível de difenilfosfato no corpo de todas as mulheres ultrapassou 7 vezes a quantidade considerada normal.

esmalte risco saude folha do dia

Mas e agora? Como não deixar a vaidade de lado, sem correr riscos? Saiba como escolher o esmalta adequado 

  • 5-Free: significa que o esmalte não tem formaldeído nem suas resinas derivadas ou os seus derivados (resinas de formaldeido), tolueno, ftalato de dibutilo nem cânfora.
  • 3 — Free: significa que o esmalte só não tem três componentes: formaldeído, flatato de dibutil e tolueno.

Agora, antes de comprar um esmalte fique atento aos rótulos e componentes. Não arrisque sua saúde.

Compartilhe
Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

sorvete café da manhã inteligente
Quer ficar mais inteligente? Tome sorvete no café da manhã

Estudo japonês mostrou que cérebro fica 'mais esperto' Pesquisa da Universidade de Kyorin, no Japão, identificou que tomar sorvete no café

Fechar